Doki Doki Literature Club! – Análise

Autor: Luiz Henrique

Ficha Técnica:

Doki Doki Literature Club!

Data de lançamento: 22 de setembro de 2017

Plataformas: Linux, Microsoft Windows, Mac OS Classic, macOS

Plataforma testada para a análise: Microsoft Windows

*****LIVRE DE SPOILERS!*****

Sucesso! Um sucesso inexplicável!(?)

Se você não viveu debaixo de uma pedra ou ficou sem internet pelos últimos dois ou três meses, você com certeza ouviu falar de Doki Doki Literature Club!. Foram mais de um milhão de downloads no Steam, incontáveis vídeos de youtubers famosos como PewDiePie e Markiplier, vídeos de reações ao jogo, teorias loucas e um quadrilhão de memes. Lançado em setembro de 2017 pelo até então desconhecido Team Salvato, DDLC! virou a internet de pernas para o ar.

Mas por quê?

Nota do Editor: DDLC! é um game focado em sua narrativa e roteiro. Por isso o destaque para “Livre de Spoilers” no início do texto, a postagem estar sem vídeo e as imagens apenas de suas personagens. Incontáveis análises e recomendações de players recomendam que você jogue o game sem assistir qualquer vídeo ou veja excesso de informações visuais ou textuais acerca dele.

É extremamente difícil falar de DDLC sem dar spoilers (mas não se preocupe, nós vamos tentar). O jogo, disponível gratuitamente no Steam, é uma visual novel, ou seja: uma experiência narrativa na qual a história é muito mais importante que a jogabilidade. Isso pode parecer estranho de início, então encare o jogo como um livro ou filme interativo, onde suas decisões afetam o rumo da história.

Aquele anime de sempre?! Definitivamente não

À primeira vista, DDLC parece um joguinho bobo com visual anime. A premissa também soa igualmente boba: um garoto ingressa em um clube de literatura com quatro lindas garotas, e deve tentar se aproximar de uma delas. As garotas parecem clichês tirados diretamente de um anime de escola: temos Sayori, a amiga de infância atrapalhada e adorável; Yuri, a nerd tímida e que ama ler; Natsuki, a tsundere, e Monika, a presidente do clube. Se você já assistiu algum anime na vida, deve ter reconhecido todos esses clichês em algum lugar.

O game não é recomendado para pessoas impressionáveis, ansiosas ou deprimidas

“Ok, mas como uma história bobinha de anime pode ser tão popular?”, você deve estar se perguntando, e vai se perguntar durante a primeira hora de jogo, pelo menos. Aos poucos, no entanto, DDLC revela uma faceta que jamais teria sido imaginada em um jogo com garotinhas de anime. Você começa a entender os inúmeros avisos na tela de início do jogo, de que DDLC é inapropriado para pessoas facilmente perturbáveis ou com histórico de depressão e ansiedade. A depressão, por sinal, é um tema abordado com uma maturidade e realismo surpreendentes. Os clichês de anime são desconstruídos com uma genialidade ímpar, e as personagens bobinhas se mostram muito mais complexas do que o jogador supunha inicialmente. Detalhes da história que passaram despercebidos ou pareceram insignificantes voltam com força total quando você menos espera.

E então, tudo vai pelos ares.

O primeiro ato termina com uma guinada de 180 graus em direção ao abismo, e tudo que você pensava que sabia sobre o jogo vai se desfazendo diante dos seus olhos. Então, o segundo ato torna claro os motivos dos avisos e a tag de “horror psicológico” na loja do Steam. DDLC leva o jogador a questionar a própria sanidade e a temer cada passo seguinte na história. Mesmo quem previu o plot twist do primeiro ato não poderia imaginar os rumos que a história tomaria no segundo.

Veredito

Se você está procurando um novo game para se divertir e relaxar, nós recomendamos jogar alguma outra coisa. Se o que você procura é uma história marcante e que vai te atormentar por dias, então nós do RPG nos sentimos na obrigação de reiterar o aviso dado no início de DDLC!: o game não é recomendado para pessoas impressionáveis, ansiosas ou deprimidas!

Doki Doki Literature Club! é gratuito e exclusivo para PC. Os requisitos para o game são mínimos, o que significa que ele pode ser jogado mesmo nas plataformas mais simples, com tradução em português feita por fãs. Venha logo para o clube de literatura e não fique aí pendurado sem entender por que a internet ainda não superou esse game.

Ajude o site a crescer, compartilhe este artigo. (:
  • Logan Revenger

    Eu só queria dizer que essa resenha me incitou ainda mais a jogar o game, uma vez que os Finalbrothers não cessavam em discutir sobre o mesmo. Comecei despretensioso, e um game que a princípio parecia um “waifu simulator” se tornou uma experiência que não vai sair da minha cabeça tão cedo. A todos que se perguntarem se vale a pena, eu digo à vocês: JOGUEM! Porque o game vai bater em vocês com força suficiente pra tirar o ar

    E também acatem às sugestões acima citadas. Se você é facilmente impressionável ou sofre de depressão e ansiedade, passe longe desse jogo, pelo seu próprio bem.

  • Dark Angel Caxias

    Como alguém que costuma olhar os fóruns de games por aí, como o Gamefaqs e, ultimamente, o Resetera, cheguei a ver alguns comentários sobre esse jogo. Mas foi essa análise que me incentivou a verificar um pouco mais de perto do que se tratava realmente o Doki Doki Literature Club!; não, não fui jogar, mas simplesmente dei uma olhada na página da wikipedia referente a ele. E, tendo lido a descrição do enredo… é, definitivamente não é um jogo para mim, não apenas por ser tão “concentrado” na história – algo que, se não me incomoda realmente, também não me agrada -, mas também pelas “contraindicações”. Certamente, não estou em um “estado de espírito” para algo assim…

  • Mysteron

    Cara, a descrição no texto sobre o jogo parece tão clichê que nem me assustei quando você falou que o jogo era clichê também. Só que aí, me solta a tal da guinada que me fez ficar intrigado. Eu com certeza vou arriscar nesse tal de jogo, mas pelamordedeus, não contém nada sobre ele pois, se ele tem essas mudanças na trama, não posso ficar muito ansioso pois se não busco tudo o possível sobre ele.

  • Mario Cunha

    Vou jogá-lo hoje de noite e tirarei de perto de mim qualquer comprimido ou objeto cortante. 😛

    • Luiz Henrique Batista

      E aí? 😛

      • Mario Cunha

        Acabei não jogando… Nesse final de semana só fiquei no Persona 5.
        Talvez no próximo final de semana eu jogue.

  • Mario Cunha

    Só uma pergunta: alguém sabe qual é a duração do jogo?

    • Krawser

      Dá acho que no máximo umas 3 horas dependendo de como vc lê.

      • Mario Cunha

        Eu leio rápido, então dá para terminar em uma noite.

  • Mysteron

    Só aviso que do nada apareceu um Honest Trailers desse jogo e tô aqui me segurando pra não o ver. Para os caras fazerem isso é porque o jogo realmente está sendo um sucesso.

    • Luiz Henrique Batista

      Não sei se ainda dá tempo de responder, mas o Honest Trailers é repleto de spoilers que meio que matam a experiência. O ideal é jogar às cegas mesmo!

      • Mysteron

        Joguei o jogo no FDS e vi o Honest Trailer do jogo depois. Não teve como não rir, pois os spoilers são brutais (nesse sentido da palavra mesmo).

  • Gabuga

    “Se você não viveu debaixo de uma pedra ou ficou sem internet” – Bem, eu acho que vivi debaixo de uma pedra pois nunca ouvi falar desse jogo.

    • Luiz Henrique Batista

      Então aproveite que não tomou spoilers e jogue! 😀

  • A esposa leu o review e achou interessante. Está jogando, mas longe de mim para não dar spoliers, hehehe

  • Mario Cunha

    Comecei a jogar. Estou no começo e ainda estou na parte feliz do jogo.
    Aproveitei e peguei a tradução em PT-BR feita por fãs. Apesar de algumas escorregadas na tradução, ela está bem feita.

    • Minha esposa também ainda está na parte feliz do jogo, e está adorando por enquanto. Jogando com a tradução. Ela falou “se tivessem mais jogos desse traduzidos, eu ia jogar muito mais”. Daí eu coloquei “visual novels traduzidas” no Google, tem, tipo, 135, hahahahahah

      • Mario Cunha

        Eu já consegui determinar o perfil psicológico de duas personagens só pelos poemas delas, a presidente do clube e a de cabelo preto longo (sou uma negação para nomes). As outras duas ainda são uma incógnita para mim.